Outubro Rosa | Câncer de mama [Dashboard]

Um em cada três casos de câncer pode ser curado se for descoberto logo no início. Mas muitas pessoas, por medo ou desinformação, evitam o assunto e acabam atrasando o diagnóstico. Por isso, é preciso desfazer crenças sobre o câncer, para que a doença deixe de ser vista como uma sentença de morte ou um mal inevitável e incurável.

O câncer de mama resulta do crescimento desordenado de células com potencial invasivo, que se dá a partir de alterações genéticas (hereditárias ou adquiridas). Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico

CÂNCER DE MAMA NO BRASIL

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum entre as mulheres no país, representando cerca de 25% de todos os casos de câncer que afetam o sexo feminino.
Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Dashboard Demonstração Outubro Rosa Tecnologia


Clique na imagem e confira o nosso dashboard com as informações

PRINCIPAIS SINTOMAS

  • Caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor.
  • Pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja.
  • Alterações no bico do peito (mamilo).
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos.
  • Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou axilas.
  • FATORES DE RISCO

    Não há uma causa única para o câncer de mama. Diversos agentes estão relacionados ao desenvolvimento da doença entre as mulheres, como envelhecimento (quanto mais idade, maior o risco de se ter a doença).
    Além disso, há fatores relacionados à vida reprodutiva da mulher, como idade da primeira menstruação, ter tido ou não filhos, ter ou não amamentado e a idade em que entrou na menopausa.
    Outros fatores de risco são: histórico familiar de vários casos de câncer de mama ou de câncer de ovário, consumo de bebida alcoólica, excesso de peso, atividade física insuficiente, dentre outros.

    A presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher terá necessariamente a doença.

    PREVENÇÃO

    Se por um lado há fatores de risco, por outro há também fatores protetores, como manutenção do peso corporal adequado, prática de atividade física e alimentação rica em vegetais. Além disso, amamentação também é considerada um fator protetor. Estima-se que esses fatores reduzem em 28% o número de casos de câncer no Brasil

    CONTROLE DO CÂNCER DE MAMA

    É fundamental que as mulheres fiquem alertas a qualquer alteração suspeita nas mamas. Olhe, sinta e apalpe suas mamas no dia a dia para identificar alterações suspeitas. Além disso, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam mamografia de rastreamento a cada dois anos. As mulheres devem ser informadas sobre benefícios e riscos desse exame.
    O rastreamento é a realização de exames periódicos, em uma população aparentemente saudável, para identificação da doença em estágio inicial.
    Diagnosticar o câncer precocemente aumenta significantemente as chances de cura, 95% dos casos identificados em estágio inicial têm possibilidade de cura

    Dashboard Demonstração Outubro Rosa Tecnologia


    Clique na imagem e confira como efetuar o autoexame

    OUTUBRO ROSA

    O mês de outubro já é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90.
    O objetivo da campanha é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, promovendo a conscientização sobre as doenças, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade.
    Nos últimos anos, o INCA tem trabalhado com a população feminina a importância de “estar alerta” a qualquer alteração suspeita nas mamas (estratégia de conscientização), assim como tem desenvolvido ações com gestores e profissionais de saúde sobre a importância do rápido encaminhamento para a investigação diagnóstica de casos suspeitos e início do tratamento adequado, quando confirmado o diagnóstico.

    Compartilhar este Post:

    Posts Relacionados:

    Deixe seu Comentario